Doçaria Tradicional Portuguesa

docaria tradicional portuguesa 

Origem e Tradição

Existem relatos de que a doçaria tradicional portuguesa tem grande parte da sua origem nos conventos e mosteiros portugueses no século XVI. Responsabilizam-se tanto os frades como as freiras pela elaboração da maior parte das receitas da Doçaria Tradicional Portuguesa, pois estes a partir das enormes quantidades de açúcar e ovos que chegavam aos conventos, juntavam-lhes geralmente amêndoas ou outros frutos, criando verdadeiras iguarias. Existem também receitas com origem nas famílias aristocráticas de onde provinham os segundos filhos sem herança, quase todos destinados a uma vida de clausura e outras foram reproduzidas e adaptadas do lado de fora da clausura, por antigos trabalhadores dos conventos, tornando-se típicas de determinada região. Portugal tem uma larga tradição e história nesta categoria de receitas que engrandeceu a gastronomia e cuja fama se estendeu além-mar.

Ingredientes e sua História

A Doçaria Conventual tem como ingredientes de eleição o açúcar, as gemas de ovos e a amêndoa. Estes doces conventuais sempre estiveram presentes nas refeições que eram servidas nos conventos, mas somente a partir do século XV, com a divulgação e a expansão do açúcar, atingiram notoriedade.

O açúcar possibilitava obter vários pontos de calda pelas mãos sábias que o trabalhavam vezes sem conta, essencialmente por mulheres que muito embora não tenham optado por ir para os Conventos, por imposição social, assim tiveram o seu destino.

Como passatempo elas começaram a aprimorar estas preciosas receitas amadurecidas com o passar dos séculos. Entre os séculos XVIII e XIX, Portugal era o maior produtor de ovos da Europa. Curioso que as claras dos ovos eram exportadas e usadas como elemento purificador na produção de vinho branco e para engomar roupas elegantes de homens ricos por toda a Europa Ocidental.

A quantidade excedentária de gemas era inicialmente colocada no lixo ou dada a animais como alimento. Até que com a chegada em larga escala de açúcar das colónias portuguesas, um novo destino foi dado para as gemas: a inspiração mandou juntar com o açúcar e iniciar aquilo que hoje se denomina de Doçaria Conventual.

Origem dos Nomes e do seu Comércio

Os nomes dos Doces Conventuais derivam da fé católica e da vida no interior dos Conventos. A partir de meados do século XVIII, quando foi decretada a extinção das Ordens Religiosas em Portugal, as freiras e monges foram confrontados com a necessidade de angariar dinheiro para seu sustento.

A venda de Doces Conventuais foi uma das formas encontradas para minimizar a sua situação financeira e por esse motivo, já fora dos Conventos, transmitiam as receitas às mulheres que as acolhiam. Desta forma as receitas de doces conventuais foram passando de geração em geração, permanecendo dessa forma vivas até aos dias de hoje.

Doçaria Tradicional Portuguesa e a Ovimafra

Sendo a Ovimafra uma empresa profundamente enraizada nos valores tradicionais portugueses, a Doçaria Tradicional Portuguesa tem uma posição de destaque na gama de produtos apresentados pela Ovimafra.

A Ovimafra foi crescendo o seu negócio em volta de toda a doçaria tradicional portuguesa, oferecendo uma vasta gama de deliciosas iguarias de fazer crescer água na boca:

Venha conhecer a Doçaria Tradicional Portuguesa da Ovimafra!

Produtos